ARGENTINA:UM CONTO CHINO

Imagem: google.com.br  

Havia alguns anos que não ia a capital portenha de Buenos Aires, onde estive por último em 2009 em um congresso na UBA e na FLACSO para apresentação de trabalhos.Após 6 anos, não para minha surpresa e espanto, encontrei um país muito pior do que aquele que conheci.

Uma semana na capital federal argentina foi o suficiente para perceber o "quão" perverso é o atual momento econômico para a sociedade argentina, uma sociedade que esta mergulhada numa profunda crise de autoestima e sem perspectivas para o futuro.Esses dados inclusive foram obtidos por uma pesquisa da Universidade Católica, que apontou a desilusão de mais de 30% das famílias argentinas formadas por chefes(líderes) entre 28 e 35 anos.

Os números do problema...


Nos últimos doze meses o peso argentino se desvalorizou 48% , a maior queda dentre seus pares latinos segundo a Revista América Economia, e viu suas empresas exportadoras perderem quase 4% de vendas reais em dólares, desculpem o trocadilho.Se não bastasse isto, sua maior montadora PSA PEUGEOT CITROËN teve neste mesmo período perdas de vendas na ordem de 46%, incrível acreditar em um dado desta magnitude.E para piorar ainda mais o cenário, 85% da produção automotiva argentina é exportada para o Brasil, que ora atravessa forte crise e desaceleração econômica.

A única empresa que teve lucro nos últimos doze meses foi a petrolífera YPF, que ganhou 20% a mais do que em 2013.Entretanto para que isso ocorresse, precisou comprar a petrolífera Hizo de Apache, cuja aquisição segundo especialistas foi o responsável para obter este resultado.  

Mas basta andar pela grande Buenos Aires e você entenderá a crise perfeitamente. Automóveis velhos circulando em grande quantidade, marcas de griffe internacional diminuindo suas operações no país, motos e roupas chinesas de todas as marcas e modelos perambulando entre a população, lojas de turismo ás moscas, restaurantes vazios e quando lotam são turistas(brasileiros,uruguaios e chilenos).

A bem da verdade é que a sociedade argentina vive um "conto chino", ou para melhor compreensão, um conto chinês, o que determina hoje uma possibilidade real de se vestir e comprar algum bem durável ao alcance da renda familiar argentina,em média um quarto da renda brasileira.

Pessoal, por hoje é só e que DEUS nos Abençoe!


Comentários

  1. Esse é o retrato econômico de um grande país, que sofre com anos de péssima gestão e governos populistas, como são de regra todos os paises da América Latina.
    Fica a pergunta -: o Brasil esta na beira do precipício, ou já caiu como a Argentina e outros, só que ele ainda é maior que precipício?
    Lauriano de Sá Neto
    Fatec Z. Sul - SP

    ResponderExcluir
  2. Esse é o retrato econômico de um grande país, que sofre com anos de péssima gestão e governos populistas, como são de regra todos os paises da América Latina.
    Fica a pergunta -: o Brasil esta na beira do precipício, ou já caiu como a Argentina e outros, só que ele ainda é maior que precipício?
    Lauriano de Sá Neto
    Fatec Z. Sul - SP

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os MAIS LIDOS

A INDIFERENÇA FAZ A DIFERENÇA

A VOCAÇÃO MANIQUEÍSTA DA SOCIEDADE

A AVENTURA DO IPI