GOVERNO BOLSONARO SOB HOLOFOTES






Nem bem começou o governo e o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro continua no palanque e criando fatos polêmicos, ora na fala intempestiva, ora em indicações de cargos no seu futuro governo.

Começando pelo governo de transição que conta com ex-presidente do PSL, ex-colegas de Bolsonaro em academia militar e deputado condenado por estelionato.Além de Lorenzoni, Paulo Guedes, General Augusto Heleno e Marcos Pontes, o governo de transição conta ainda com técnicos do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o ex-presidente do PSL Gustavo Bebianno e o vice-presidente nacional do PSL, Gulliem Lemos.

Conhecido como Julian Lemos , o recém-nomeado integrante da equipe bolsonarista foi eleito deputado federal pela Paraíba no mês passado e coleciona três acusações pela Lei Maria da Penha (numa delas, ele chegou a ser preso em flagrante). Lemos também já foi condenado, em primeira instância, por crime de estelionato.

Quando pensamos no futuro real do novo governo, é comum os analistas de mercado analisarem o perfil da nova equipe que já conta com cinco indicados, entre eles o  Paulo Guedes,Sergio Moro e Onix Lorenzoni .Destes, cabe lembrar que Paulo Guedes  é uma figura que desperta paixão e ódio no mercado. Suas idéias ultraliberais por exemplo, tinham pouca recepção em duas das mais importantes faculdades de economia do Rio de Janeiro: a FGV (Fundação Getulio Vargas) e a PUC (Pontifícia Universidade Católica), as quais ministrou aulas e não conseguiu permanecer.

O futuro ministro da Fazenda tem ligações profundas com o mercado financeiro, fundador do Banco Pactual, conselheiro de uma grande corporação privada na área do ensino (ANIMA) e atual sócio do Bozano Investimentos, é um empresário conhecido por seu perfil oportunista nos negócios.

Alvo em ao menos duas investigações de autoridades federais, em uma delas o MPF (Ministério Público Federal) apura se ele cometeu gestão fraudulenta ou temerária ao se associar a diretores dos fundos de pensão Previ (do Banco do Brasil), Petros (da Petrobras), Funcef (da Caixa) e Postalis (dos Correios) entre fevereiro de 2009 e junho de 2013. Também é investigado, em inquérito no âmbito da operação Greenfield, sob suspeita de emissão e negociação de títulos mobiliários sem lastros ou garantias.

Outro nome estrelado é do magistrado responsável pela operação Lava Jato, o juiz Sergio Moro. Considerado um herói nacional e tendo em sua folha corrida a prisão de um ex-presidente, ministros e empresários graúdos do cenário nacional, também coleciona polêmicas. Acusado de uso politico da toga, como no caso do vazamento do audio da ex-presidente Dilma, o vazamento da delação premiada do ex-ministro Palocci nas vésperas da eleição e o uso indevido do auxilio moradia, está sendo duramente criticado por juristas importantes que apontam uma mancha na sua carreira ao aceitar um cargo politico em meio a investigados e investigações da operação Lava Jato.

Onix Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil,  é veterinário de formação e teve atuação importante na campanha de Jair Bolsonaro.Na Câmara, em 2016, Onyx foi relator do projeto denominado "10 medidas contra a corrupção". Após pressão de parlamentares, retirou pontos de seu parecer, e o texto ficou aquém do esperado por parte do Ministério Público Federal. Meses depois, admitiu ter recebido R$ 100 mil por meio de caixa 2 do frigorífico JBS, de propriedade de Joesley Batista. O dinheiro ilegal foi revelado em delação, que ajudou a embasar denúncia da PGR contra Michel Temer.

O importante é notar que três dos principais personagens da equipe de governo que se forma terāo muita dificuldade de atuar com independência nos cargos a que foram atribuídos.Enquanto isso, não muito original tem sido a prática do futuro presidente ao se comunicar quase que exclusivamente por rede social em pronunciamentos e notas, mostrando uma nova postura em relação a imprensa, como lá nos Estados Unidos da América com Donald Trump.

Deixaremos para outra oportunidade comentar novas polêmicas a respeito de diplomacia e previdência social, duas questões que estão em conflito dentro da nova equipe. É esperar para ver.

Por hoje é só e que DEUS nos Abençoe! 
 


Comentários

Os MAIS LIDOS

A INDIFERENÇA FAZ A DIFERENÇA

A VOCAÇÃO MANIQUEÍSTA DA SOCIEDADE

A AVENTURA DO IPI