A COPA DO MUNDO E O DIA SEGUINTE

No dia 30 de outubro de 2007 o Brasil se tornou país anfitrião da Copa do Mundo de Futebol de 2014. O comunicado foi feito durante reunião do comitê executivo da Fifa em Zurique, na Suíça, na qual estavam  entre tantas personalidades esportivas, o então presidente Lula.Esta matéria a seguir contextualiza um belo trabalho da REVISTA VEJA de Outubro de 2007, onde vou relembrar alguns dados importantes para nossa análise.

Antes de qualquer contextualização "ufanista" nacional, retomemos os motivos  "mais ou menos" técnicos que culminou com a escolha do Brasil como país sede. O primeiro esta no momento em que a Alemanha derrotou a África do Sul na votação interna do órgão para escolher o país-sede da Copa de 2006, quando a Fifa foi surpreendida pelo resultado adverso inesperado, pois dava como certa a vitoria "política" da Africa do Sul .

 A partir daí estabeleceu um rodízio entre os continentes que abrigariam o campeonato, cabendo a  África do Sul, o mais desenvolvido país africano, encarregar-se da Copa de 2010. Para 2014, sendo a América do Sul a bola da vez, a disputa ficou entre o Brasil e a Colômbia. Alegando incapacidade de agenda os colombianos retiraram a candidatura e o Brasil se tornou candidato único, ainda que a FIFA "curiosamente" antes do anúncio da sede no Brasil,divulgasse o fim do rodízio de continentes, para evitar as candidaturas únicas.

Aqui já podemos ter a impressão de um tiro livre da marca do penalti, sem goleiro...méritos só mesmo por sermos conhecidos como o país do futebol.As exigências da Fifa para a Copa comprovam a desconfiança do "freguês",pois rezam que os estádios onde as partidas serão realizadas devam apresentar as mesmas condições de conforto e segurança que as de seus equivalentes nos países desenvolvidos. Todos os assentos, por exemplo, têm de ser numerados e é preciso haver hospitais e estacionamentos nas imediações. Além disso, será preciso preparar as cidades que os abrigam para a complexa operação logística que o torneio envolve. Sediar uma Copa significa hospedar 32 equipes e suas comitivas durante um mês e criar estrutura para a realização de 64 partidas, que serão transmitidas globalmente.No caso de São Paulo, dá para imaginar esta configuração no bairro de Itaquera, no extremo leste da cidade de São Paulo...nada contra os cidadãos itaquerenses, mas haja dinheiro público para transformar o bairro e um modelo europeu.

Quanto as arenas esportivas....

Adaptar os modestos estádios brasileiros às recomendações técnicas da Fifa exigirá reformas colossais,como a que estamos vendo....demolições ...e com dinheiro público......aquele do discurso do não...

Quanto aos turistas.....

Espera-se em um mês 500 000 turistas – 10% do total que o país recebe em um ano inteiro,em 1994 nos EUA foram 400.000 turistas; na França em 1998, 500.000; no Japão em 2002, 400.000; na Alemanha,a maior de todas as copas da história, 2 milhões de turistas....voltando a expectativa do Brasil .....é possível...mas improvável...


Quanto ao PIB...


Dados apontam que em 1994 os EUA aumentaram em 1,4% o PIB; em 1998, a França cresceu 1,3% a mais; em 2002, a Coréia elevou em 3,1% enquanto o Japão teve decréscimo de 0,3%; a Alemanha teve 1,7% a mais no PIB em 2006. Mas vale lembrar que antes do Mundial da Alemanha apontavam a criação de 100.000 empregos, o que na realidade ocorreu foi algo próximo a 50% disto, o mesmo indice se repetiu na Coréia do Sul em relação aos turistas esperados.

O Estado e o orçamento.....

O Mundial de Futebol do Brasil consumirá  muito mais do que os  5 bilhões de dólares previstos. Foi o que aconteceu nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, inicialmente orçados em 500 milhões de reais, finalizando próximo aos 4 bilhões de reais. Poucos países podem fazer como os Estados Unidos, que organizaram uma Copa do Mundo (em 1994) e duas Olimpíadas (em 1984 e 1996) sem um centavo de ajuda do erário(público). Isso porque toda a infra-estrutura estava pronta. Na Alemanha, o setor público (local ou federal) financiou um terço dos 2 bilhões de dólares gastos nas obras nos estádios.

E nós cidadãos....

Bem, nós pedimos que DEUS nos abençoe e até a próxima!

Comentários

Os MAIS LIDOS

A INDIFERENÇA FAZ A DIFERENÇA

A VOCAÇÃO MANIQUEÍSTA DA SOCIEDADE

A AVENTURA DO IPI